Alexandre Palma homenageia 60 anos do Cacique de Ramos em individual inédita

07/02/2022


Usando a pintura, artista plástico apresenta, na Galeria Modernistas, em Santa Teresa, de 19 de fevereiro a 2 de abril, trabalhos que ressaltam o desafio da cor e fragmentos das culturas indígena e afro-brasileira


Alexandre Palma - Creditos: Carlos Júnior

Agremiação icônica do Carnaval carioca, o tradicional bloco Cacique de Ramos, que em 2021 completou 60 anos de fundação, já começará a brilhar antes mesmo da abertura oficial das festividades momescas. Do dia 19 de fevereiro a 2 de abril, a Galeria Modernistas, em Santa Teresa, receberá a exposição “Eu sou Cacique!”, mostra individual do artista plástico Alexandre Palma, uma verdadeira homenagem ao coletivo fundado em 1961, reconhecido como Patrimônio Cultural e Imaterial do Rio de Janeiro, berço de Beth Carvalho, Zeca Pagodinho e o Grupo Fundo de Quintal, dentre muitos outros. Aberta para o público, a exposição atenderá todos os protocolos de saúde vigentes na cidade.


Abraçando como desafio as cores do bloco – o vermelho, o branco e o preto – Alexandre Palma aposta na pintura figurativa, homenageando as seis décadas de existência da agremiação, sem desconsiderar, segundo o próprio artista, essa atmosfera de calor como multiplicadora, em outro plano, de inquestionáveis tensões no presente. “O desafio da cor está em todas as composições: enquanto artista relembro trajetórias de minha família na zona norte, revisito passagens como folião-observador na Avenida Rio Branco e seleciono imagens recentes de quando saí como componente na Ala Carajás ou na Ala Guerreiros do Cacique”, ressalta Alexandre.


Com curadoria de Augusto Herkenhoff, a série de pinturas na individual “Eu sou Cacique!” traduz a busca do artista em transpor a agremiação intercultural e barroca para o espaço pictórico, sublinhando a gestualidade no uso da tinta à óleo e da aquarela. Esta tentativa de diálogo com a cor inclui fragmentos sobre a cultura afro-brasileira e a questão indígena, dois dilemas modernistas que se reconfiguram em novas tendências na arte contemporânea, como bem nos lembra o artista.


Tendo estudos iniciais com a pintora Nadyr Marques até os ateliês do Parque Lage e da Escola de Belas Artes da UFRJ, onde hoje leciona na área de artes visuais, Alexandre Palma dirigiu curtas-metragens sobre Patapio Silva e Casquinha da Portela. Na abertura da exposição o artista apresentará a performance "Vermelho 22" ao lado do lançamento de catálogo impresso com texto de Carlos Alberto Medeiros.



SERVIÇO:

Exposição “Eu sou Cacique!”, de Alexandre Palma

De 19 de fevereiro a 2 de abril de 2022

Galeria Modernistas

Endereço: Rua Paschoal Carlos Magno, 39 - Santa Teresa - Rio de Janeiro - RJ

Instagram: @modernistasgaleria

Visitação:

Quinta a sábado – 11 às 17 h

Domingo – 10 às 14 h

Agendamento e informações:

21-981393892 ou thelma.v.innecco@gmail.com


PROGRAMAÇÃO

Abertura (vernissage): 19 de fevereiro de 2022, sábado, às 17 horas

Performance Vermelho 22

Com Alexandre Palma

Lançamento do catálogo

Visita mediada: 12 de março de 2022, sábado, de 15 h às 17 h - Com Alexandre Palma

Encerramento (finissage): 2 de abril de 2022, sábado, às 17 h

Roda de conversa: Pós-Carnaval, Pós-Modernismo

Convidad@s: Augusto Herkenhoff (Galeria Zagut), Salloma Salomão (músico, pesquisador e autor de “As Aventuras do Pequeno Samba”) e Thelma Innecco (artista visual).

Mediação: Alexandre Palma

Apresentação musical