Bolsonaro diz que cassação de Francischini por fake news foi um "estupro"

05/11/2021


Presidente foi inaugurar sistema sanitário em Ponta Grossa



O presidente Jair Bolsonaro classificou a cassação do agora ex-deputado estadual Fernando Francischini (PSL-PR), condenado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por compartilhar fake news sobre as urnas eletrônicas, de "estupro" e "violência contra a democracia". "Há três anos não converso com o deputado Francischini. A cassação dele foi um estupro", disse Bolsonaro em evento em Ponta Grossa (Campos Gerais). "Aquela cassação foi uma violência contra a democracia", acrescentou.


Francischini foi cassado pelo TSE em 28 de outubro, após a Corte absolver a chapa de Bolsonaro com o vice-presidente Hamilton Mourão, eleita em 2018. A chapa vitoriosa era acusada de disseminar fake news na campanha presidencial.


"Nem na época do AI5 se fazia isso. O pessoal critica tanto o nosso AI5", disse Bolsonaro sobre a cassação do deputado. Editado em 1968, o Ato Institucional número 5 (AI-5) foi o mais duro instrumento de repressão da ditadura militar.


As críticas do chefe do Executivo ao TSE nesta sexta-feira vieram logo depois de um reconhecimento da segurança do voto eletrônico, de que o voto eletrônico será confiável em 2022. "O ideal é o impresso, mas o eletrônico agora vai dar certo", afirmou Bolsonaro.


Depois de uma forte campanha pelo voto impresso, proposta derrotada no Congresso, o presidente passou a dizer que o voto eletrônico será confiável nas próximas eleições graças ao acompanhamento do processo eleitoral pelas Forças Armadas, a partir de um convite do TSE.


Durante a cerimônia no Paraná, o presidente ainda lembrou seu voto a favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, em 2016, dedicado ao coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, que torturou a petista e de outros militantes ao longo da ditadura.