Bolsonaro recebe médica que pode substituir Pazuello

14/03/2021


Ludhmila Hajjar é a mais cotada para assumir Ministério da Saúde



Em meio à articulação para a saída de Eduardo Pazuello do comando do Ministério da Saúde, o presidente da República, Jair Bolsonaro, se reuniu ontem com a médica cardiologista Ludhmila Hajjar no Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência, em Brasília. Deputados do Centrão, grupo de partidos da base aliada do governo na Câmara, têm pressionado pela troca de Pazuello. Desgastada, a atuação do ministro é criticada em razão do agravamento da crise sanitária no país causada pela pandemia de Covid-19. Pazuello, por sua vez, diz que segue à frente da pasta e que Bolsonaro não pediu que entregue o cargo.


O nome da médica Ludhmila Hajjar é abertamente defendido pelo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP), que é uma das principais lideranças do Centrão. Em uma rede social, Lira disse ontem que o enfrentamento da pandemia “exige competência técnica” e “capacidade de diálogo político”.


“Coloquei os atributos necessários para o bom desempenho à frente da pandemia: capacidade técnica e de diálogo político com os inúmeros entes federativos e instâncias técnicas. São exatamente as qualidades que enxergo na doutora Ludhmila”, escreveu Lira.