Bombeiros alertam banhistas para nadar próximos ao Posto de Guarda-Vidas

05/09/2021


Neste feriado foram ativados 16 no Litoral e 9 na Costa Noroeste do Paraná



Mesmo com grande aparato material e tecnológico, não existe ferramenta mais eficiente para diminuir os casos de afogamento que a prevenção. O Corpo de Bombeiros do Paraná está alertando sobre os cuidados aos cidadãos para que observem as medidas de segurança e frequentem somente os locais onde há um Posto Guarda-Vidas ativo.


Neste feriado foram ativados 16 no Litoral e 9 na Costa Noroeste do Paraná.


Dados da Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático (Sobrasa) indicam que 90% das mortes ocorridas por afogamento são por ignorância dos riscos e do desrespeito aos próprios limites do corpo e das recomendações de segurança. Ainda de acordo com o órgão, a gravidade desse tipo de incidente oferece cerca de 200 vezes mais risco de óbito do que um acidente de transporte.


De acordo com o coronel Gelson Marcelo Jahnke, que está respondendo pelo Comando do Corpo de Bombeiros, é importante que as pessoas se previnam e se banhem com segurança, próximos aos postos guarda-vidas, que estarão presentes das 08 às 19 horas.


“Vamos atuar com nossas equipes de bombeiros, que estão dispostos no litoral e na Costa Noroeste, para prevenção e orientação aos banhistas, no entanto, é importante que as pessoas procurem banhar-se onde há presença de guarda-vidas ou, então, onde a água fique até a linha da cintura para, em caso de emergência, conseguir sair e evitar possíveis incidentes”, alertou.


A desatenção, segundo o coronel, é uma das causas mais comuns de afogamentos. Seja por não observar a sinalização de bandeiras ou placa, ou banhar-se em pontos distantes dos Postos de Guarda-Vidas, há banhistas que insistem em frequentar locais de risco e demandam um esforço dos bombeiros militares para dar o atendimento e evitar uma tragédia. Por isso, o Corpo de Bombeiros tem investido na prevenção e na educação sobre o tema.


“Quando o cidadão busca seu lazer próximo ao posto de guarda-vidas, ele pode ter certeza de que haverá alguém de olho em sua segurança. Os bombeiros responsáveis por esta função têm treinamento especializado para o salvamento aquático, portanto, ficam observando a movimentação das pessoas e, quando necessário, fazem intervenções, principalmente buscando evitar que o cidadão se exponha ao risco”, explica. “A bebida é outro fator que pode levar ao afogamento, caso a pessoa beba e entre na água. Procure buscar seu lazer com responsabilidade”.


A principal recomendação do Corpo de Bombeiros é sobre a importância de banhar-se próximo a um Posto Guarda-Vidas. Isso porque onde estão os profissionais é um local que tem todas as condições seguras para as pessoas entrarem no mar, e que ainda que ocorra algum problema, o tempo de resposta do atendimento é praticamente instantâneo. A própria instalação do Posto segue um planejamento detalhado feito pelos bombeiros, considerando fatores climáticos, condições do mar, público que frequenta aquela área, entre outros, para que seja oferecido o melhor atendimento possível às pessoas.


A área entre as bandeiras ou windbanners vermelho sobre amarelo (as duas cores na mesma bandeira) é a mais segura e é onde os guarda-vidas estão atuando para dar qualquer suporte de emergência. Essa sinalização é disposta em uma área de cerca de 300 metros de areia (150 metros para cada lado do Posto Guarda-Vidas) onde há a presença dos profissionais constantemente. Esta área conta ainda com apoio de outras equipes de suporte que percorrem a areia com os quadriciclos, por exemplo.


Os bombeiros militares são treinados para prestar atendimento aos afogamentos e também passam por rigorosos treinamentos desde técnicas de natação até a forma correta de abordagem a uma vítima que está em pânico na água. Entretanto, mesmo com toda a capacitação, o guarda-vidas conta com a colaboração e consciência das pessoas para prevenir os incidentes e até mesmo ajudar a multiplicar as orientações de segurança. Estes bombeiros também são preparados para mensurar pontos de risco e os que são adequados para a população não ter nenhum problema na água.


Quanto mais próximo do Posto Guarda-Vidas o banhista estiver, mais ágil será o atendimento dos bombeiros. Frequentar pontos distantes, sem a presença desses profissionais, é um grande risco, pois em caso de apuros a vítima não terá meios de chamar a atenção de alguém para pedir socorro e até que o fato chegue ao conhecimento dos bombeiros, a vítima pode não resistir a espera ou, caso seja resgatada com vida, poderá ter sequelas graves.


“Os postos de guarda-vidas acionados com profissionais treinados e habilitados para atuação de prevenção aquática, e que podem prestar as orientações que as pessoas precisarem. Além disso, para evitar afogamentos, as pessoas não devem banhar-se em locais que não conhecem, pois as mudanças climáticas podem afetar as condições do mar, diariamente, e provocar incidentes”, informou o coronel Marcelo.