CBF tenta convencer clubes a liberar "ingleses" para a Seleção

17/09/2021


Brasil enfrenta Venezuela, Colômbia e Uruguai em outubro



O técnico da seleção brasileira, Tite, entrega a lista de convocados e suplentes para a Fifa nesta sexta-feira. Apesar do chamado, os nomes não serão tornados públicos ainda, o que só vai acontecer na próxima semana, dia 24 - próxima sexta-feira, com coletiva de imprensa do treinador e da comissão.


Grande polêmica - e inconveniente para as seleções sul-americanas - da última convocação, os jogadores brasileiros que atuam na Inglaterra vão entrar na lista de Tite novamente. Mas, desta vez, a expectativa é positiva pela apresentação desses atletas.


Está prevista ao longo dessa sexta-feira uma audiência entre dirigentes da Fifa e membros do Reino Unido para flexibilizar a quarentena de retorno aos países britânicos. Anteriormente, havia exigência de isolamento obrigatória de 10 dias, o que faria com que perdessem compromissos com seus clubes.


Entrou na conta da insatisfação dos clubes também o aumento de dias da data Fifa, de nove para 11 ao todo. Mas neste momento o clima é mais ameno. Os dirigentes de clubes ingleses sinalizaram com boa vontade para liberação dos atletas, em carta enviada para a CBF, que, em contrapartida, desistiu do pedido de punição na Fifa.


Com intervalo pequeno entre a data Fifa de setembro e a convocação de outubro - a vitória do Brasil sobre o Peru por 2 a 0, na Arena de Pernambuco, foi há apenas uma semana -, Tite e a comissão decidiram somente anunciar os nomes daqui a uma semana. Aproveitando a observação da primeira rodada da Liga dos Campeões, da Liga da Europa e mais rodadas do início dos campeonatos nacionais.


Mas o procedimento é o mesmo. A lista preliminar - com mais nome do que apenas os 23 que podem ser relacionados por partida - deve ser apresentada 15 dias antes do início da data Fifa - começa dia 4 de outubro, com jogos fora contra Venezuela, dia 7, Colômbia, dia 10, e termina após o jogo do dia 14, contra o Uruguai, em Manaus.


Os nomes pré-selecionados servem para garantir os direitos das seleções nas convocações, com a liberação dos jogadores por seus clubes. Caso haja necessidade de convocação fora desse prazo de 15 dias, a CBF deve negociar com os clubes a liberação do atleta.