Cesta básica no Armazém da Família chega a ser R$ 267 mais barata

20/08/2022

O consumidor precisa comprovar renda familiar de até 5 salários mínimos


Em tempos de inflação alta e elevação de preços, os Armazéns da Família da Prefeitura de Curitiba se mantêm como a melhor opção para compras, com preços em média 30% mais baratos que na rede convencional. Pesquisa apresentada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) mostra que entre maio e junho deste ano o preço da cesta básica em Curitiba atingiu o valor de R$ 701,26. Para quem é cliente dos Armazéns da Família, o preço ficou em R$ 433,80. Ou seja, os clientes conseguiram economizar até R$ 267,46. Para se cadastrar e ter direito a compras nos Armazéns da Família de Curitiba, o consumidor precisa comprovar renda familiar de até 5 salários mínimos e que mora na capital. O secretário de Segurança Alimentar e Nutricional, Luiz Gusi, salienta que diariamente equipes da secretaria percorrem supermercados de Curitiba monitorando os preços para garantir que os itens nos Armazéns da Família sejam mais baratos. As pesquisas ficam disponíveis para consulta no site Clique Economia. Gusi lembra que, além dos Armazéns, a Prefeitura também garante preços mais baixos para frutas e verduras nos Sacolões da Família, que trabalham com o preço máximo de R$ 3,69 o quilo para a maioria dos hortifrútis. "Mesmo que haja promoções nos mercados convencionais, os preços nos Armazéns e nos Sacolões são sempre mais em conta. Nos Armazéns, os preços são, em média, 30% mais baratos e nos Sacolões até 40% mais baixos que no varejo", diz Gusi. Limite de compras Uma novidade que entrou em vigor nos Armazéns da Família nesta semana é o aumento do valor máximo mensal para compras. O limite passou de um salário-mínimo, R$ 1.212 reais, para R$ 1.818 reais, o que representa 30% de cinco salários-mínimos.