Chefe do tráfico é preso no Maracanã enquanto via jogo do Fluminense

18/08/2022


Suspeito estava com camisa do time com o nome



Marco Aurelio dos Santos Rocha, o Foka, estava com um uniforme com o próprio nome estampado. Ele foi escolhido para função por chefe de facção suspeito de envolvimento no caso de meninos desaparecidos em Belford Roxo, mas polícia não viu indícios de participação de Foka no caso.


O homem apontado como chefe do tráfico de drogas do Complexo do Castelar, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, foi preso nesta quarta-feira (17) pela PM enquanto assistia ao jogo do Fluminense contra o Fortaleza, no Maracanã, pelas quartas de final da Copa do Brasil — o Tricolor das Laranjeiras avançou para as semifinais.


Marco Aurelio dos Santos Rocha, o Foka, estava com um uniforme com o próprio apelido estampado quando foi preso. A ação envolveu policiais do 39º BPM (Belford Roxo) e do Batalhão Especializado em Policiamento em Estádios (Bepe).


Contra Foka, havia dois mandados de prisão em aberto por tráfico. Ainda segundo a Polícia Militar, ele é responsável por diversos homicídios em Belford Roxo.


Foka se tornou réu em ação penal depois da investigação da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) que investigou o tráfico no Castelar entre janeiro e setembro de 2021. Ao todo, 51 pessoas respondem na Justiça.