Com estação meteorológica, Porto passa a receber informações sobre o clima em tempo real

29/07/2021


Equipamento da Plugfield emite alertas e traz boletins que contribuem para a precisão climática. Com isso, é possível agendar a entrada e saída de navios na zona portuária



Programar a carga e descarga de grãos e agendar previamente tudo o que entra e sai do Porto de Paranaguá, a fim de evitar prejuízos e antecipar o cronograma de trabalho, além de evitar possíveis acidentes, em dias que há excesso de chuva, por exemplo. Desde junho, essa programação – via boletins semanais – é feita no Porto de Paranaguá. A instalação da estação meteorológica Plugfield WS18, em parceria com a Clima e Ambiente, permite que os profissionais que trabalham na área portuária recebam os alertas climáticos na palma da mão e em tempo real.


Um aplicativo para smartphone e uma plataforma web são disponibilizados para que os profissionais possam acessar os dados de qualquer lugar do mundo. Funciona da seguinte forma: a estação meteorológica possui um conjunto de sensores que medem os dados climáticos, além de um módulo de coleta e transmissão de dados. De acordo com o consultor comercial da Plugfield, Cleverson Braun, esses alertas climáticos são fundamentais, uma vez que a atividade portuária necessita dessa atenção quanto às condições atmosféricas.


“Com esses avisos dá para agendar toda a programação de carregamento e descarregamento graneleiro, antecipando eventuais riscos ou, até mesmo, acidentes de trabalho nas plataformas que podem se deslocar em dias que ventam mais, por exemplo”, comenta Braun. Ele diz que os boletins são gerados na web e chegam via aplicativo, em formato de mensagem.


Segundo o consultor, o conjunto de sensores mede a temperatura, umidade relativa, velocidade e direção do vento, precipitação, pressão atmosférica, luminosidade e índice UV. Outra vantagem do equipamento é que o módulo de coleta e transmissão possui GPS e permite a geolocalização da estação, lê os dados e faz o envio pelo smartphone via wifi.


A estação é alimentada por painéis solares e também funciona offline – nesse modo ela consegue fazer 50 mil leituras em até quatro dias, isso com postagens a cada 10 minutos.


Ainda de acordo com Braun, diante da crise hídrica que vivenciamos, o planejamento precisa ser de longo prazo. Com informações precisas quanto às condições climáticas, é possível antecipar o cronograma de trabalho e evitar prejuízos não só às grandes embarcações como, também, para as pequenas.

Sobre a Plugfield – É uma indústria brasileira de tecnologia que faz parte do grupo Pumatronix. Sua principal proposta de valor é desenvolver equipamentos que disponibilizam informação em tempo real para a assertividade na tomada de decisão de ações que envolvam o sensoriamento e monitoramento de dados climáticos.


Conheça a empresa em: www.plugfield.com.br.