Conselho Regional de Biomedicina do Paraná amplia os trabalhos

11/10/2021


Entidade que fortalecer a categoria e mostrar como o trabalho dos profissionais ajuda a sociedade


Divulgação / Entidade quer fortalecer a categoria e mostrar a importância dos biomédicos para a sociedade

O Conselho Regional de Biomedicina 6ª Região (CRBM6) está ampliando os trabalhos em todo Paraná. A entidade é formada por cerca de 4.500 profissionais e tem o apoio de delegados regionais que atuam e zelam pelo ofício no Estado.

A partir de 13 de outubro, a entidade estará sediada na Rua Visconde de Nácar, 754, Centro, Curitiba-PR. A nova sede terá aproximadamente 270 m2, vai proporcionar mais conforto, praticidade e rapidez no atendimento às demandas internas e da sociedade.

“Essa mudança trará melhores condições de trabalho à equipe, aos biomédicos do Paraná e mais facilidade no contato com os órgãos representativos de Araucária, Campo Mourão, Cascavel, Foz do Iguaçu, Guarapuava, Londrina, Maringá, Pato Branco, Ponta Grossa e União da Vitória”, explica o presidente do CRBM6, Thiago Massuda.

Funções

Os Conselhos Regionais de Biomedicina são subordinados ao Conselho Federal de Biomedicina e têm como funções básicas registrar, orientar, fiscalizar, disciplinar e zelar pelo ofício no Brasil. Ao mesmo tempo, criam resoluções que normatizam, habilitam e verificam a conduta profissional, de acordo com o código de ética.

“Para exercer legalmente qualquer uma das mais de 30 atividades biomédicas, é preciso fazer a prévia inscrição no respectivo conselho regional”, orienta Massuda.

Atuações

Entre as áreas de atuação dos biomédicos estão os trabalhos de acupuntura, análises clínica e ambiental, bromatológicas [avalia a qualidade dos alimentos], auditoria, banco de sangue, biofísica, biologia molecular, biomedicina estética, bioquímica, citologia oncótica, embriologia, farmacologia, fisiologia, genética, hematologia, histologia, imunologia, imagenologia, informática da saúde, microbiologia, microbiologia de alimentos, monitoramento neurofisiológico transoperatório, parasitologia, patologia, perfusão, psicobiologia, radiologia, reprodução humana, sanitarista, saúde pública, toxicologia e virologia.

“Com muito diálogo, trabalho e transparência na gestão vamos fortalecer a categoria, gerar novas ações internas, mostrar para a sociedade a importância dos biomédicos e como a atuação desses profissionais é essencial na vida da população”, completa Thiago Massuda.