Coritiba estuda montar time para participar do NBB

07/10/2022


Iniciativa conta com apoio de Rolando Ferreira, primeiro brasileiro na NBA



O Coritiba recebeu dois dirigentes da Novo Basquete Brasil (NBB) para discutir a participação da equipe na próxima temporada. Com intermédio de Rolando Ferreira, o grupo também vistoriou o Ginásio do Tarumã, que deverá sediar os jogos do time alviverde.


O CEO Sérgio Domenici e o diretor Álvaro Cotta, ambos da NBB, estiveram com Ferreira e coordenadores do marketing do Coxa para reforçar a vontade de ter um clube da capital paranaense na Liga.


Atualmente, o Coritiba Monsters disputa a Liga de Desenvolvimento de Basquete (LDB) – uma espécie de 2ª divisão. O clube terminou em oitavo no grupo B, com 12 participantes, e não se classificou. O paulista Pinheiros foi o campeão.


"Sabemos do apelo econômico da cidade, da quantidade de torcedores locais adeptos da modalidade, da marca forte do Coritiba que está por trás desse projeto. Saímos muito impressionados e esperançosos de que Curitiba vai consolidar o basquete de elite no Paraná", destacou Domenici.


O Paraná já possui dois representantes na NBB: Pato Branco e Campo Mourão. Uma vaga na NBB, por exemplo, custa R$ 400 mil.


Fundado em 2019, o Monster dispõe de recursos da Lei de Incentivo ao Esporte e busca do apoio do poder público municipal e estadual, além de investidores.


A ideia é aumentar a estrutura atual e montar uma equipe competitiva até o final do primeiro semestre de 2023. Assim, o clube pode ficar apto a participar do campeonato a partir de outubro.


Um dos trunfos para angariar apoiadores é o coordenador Rolando Ferreira, primeiro brasileiro a jogar na NBA, na temporada 1988-1989. Ele defendeu o Portland Trail Blazers.