Donos do PSG se incomodam com custo-benefício de Neymar

08/04/2022


Emir do Catar vê desempenho decepcionante e falta de motivação



Alvo de críticas na França desde a eliminação do Paris Saint-Germain na Liga dos Campeões, Neymar perdeu prestígio também com os donos do clube.


De acordo com o jornal "L'Equipe", o emir do Catar, Tamim Al Thani, principal acionista do PSG, tem se mostrado incomodado com o custo-benefício apresentado pelo brasileiro. Na avaliação do dirigente, o desempenho de Neymar tem sido decepcionante, além de mostras de falta de motivação.


Pochettino diz que o melhor para Mbappé é seguir no PSG e defende Neymar: 'Qualidade ainda está lá'


A bronca de Al Thani diz respeito também ao investimento feito pelo PSG para contratar Neymar. O clube francês pagou 222 milhões de euros para tirá-lo do Barcelona e arca com um salário de cerca de 38 milhões de euros por ano.


Ao todo, estima-se que o brasileiro vai custar aos cofres do PSG cerca de 500 milhões de euros (o equivalente a R$ 2,5 bilhões na cotação atual), entre transferência e salários.


"Visto de Doha (capital do Catar), domina a sensação de que a motivação de Neymar está diminuindo, com a impressão de que ele nem sempre fez o possível para estar no seu melhor nível", diz um trecho da reportagem.


Neymar tem contrato com o PSG até junho de 2026. Por maior que seja a decepção, o clube sabe que é difícil negociar o atacante, já que poucos times no mundo seriam capazes de arcar com o atual nível salarial do brasileiro. A tendência é de que ele permaneça em Paris por pelo menos mais um ano.