Em depoimento sobre assédio, funcionária da CBF cita ameaças de Caboclo

09/07/2021


Ela relata que Caboclo avisou a diretor que "acabaria com a carreira" dela



A funcionária da CBF que acusou Rogério Caboclo de assédio sexual e moral relatou à Comissão de Ética da entidade ter tomado conhecimento de ameaças do dirigente depois de ela se licenciar do trabalho por motivos de saúde. De acordo com o depoimento, que foi compartilhado com o Ministério Público e ao qual o ge teve acesso, Caboclo afirmou que "acabaria com a carreira dela".


Ela também mencionou tentativas de interferência de Caboclo em sua vida pessoal. E detalhou uma suposta rotina de consumo de bebida alcoólica do dirigente no horário de trabalho e até durante eventos em que ele aparecia publicamente, como reuniões com clubes e federações estaduais.


O depoimento foi prestado no dia 14 de junho, dez dias depois de o ge ter revelado que ela havia acusado Rogério Caboclo de assédio moral e sexual. No dia 6 de junho, a Comissão de Ética afastou o dirigente do cargo, punição que no dia 3 de julho foi ampliada por mais 60 dias.


Ameaças

A funcionária se afastou do trabalho no dia 9 de abril de 2021. Ela relatou à Comissão de Ética que, depois disso, tomou conhecimento de ameaças por parte de Rogério Caboclo. Segundo o depoimento, o presidente da CBF afirmou a um diretor que "acabaria com a carreira" dela.

Caboclo nega que tenha dito isso. "Trata-se de absoluta mentira. O presidente da CBF, Rogério Caboclo, não fez essa ameaça. Pelo contrário, ele recebeu, por meio de terceiros, a ameaça de que, caso a CBF não pagasse R$ 12 milhões para a funcionária, ela o acusaria formalmente de assédio", diz nota da assessoria do presidente afastado.


A funcionária também relatou um episódio em que o motorista pessoal de Caboclo foi visto rondando o apartamento da irmã da funcionária à noite no Rio de Janeiro. Segundo o relato, o motorista foi confrontado pela irmã da funcionária (que da sacada do apartamento perguntou o que ele queria) e afirmou que estava procurando a funcionária.