Fala de deputado revolta bancada feminina

27/04/2022


Parlamentares se manifestaram durante a sessão plenária desta quarta



Deputadas paranaenses defenderam, durante a sessão plenária desta quarta-feira (27), o projeto em tramitação na Assembleia Legislativa que propõe a criação de uma Bancada Feminina no Legislativo paranaense, além da participação feminina na Mesa Diretora da Casa. A reação ocorreu após um pronunciamento do deputado Homero Marchese (Republicanos) na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) contrário à proposta.


Durante os discursos, parlamentares criticaram a posição de Marchese, que afirmou que o projeto criando a Bancada Fermina visa “estabelecer um benefício para uma minoria que foi escolhida por uma maioria”. As manifestações se somam ao posicionamento da Mesa Diretora da Assembleia, que reprovou a conduta do parlamentar.


A deputada Luciana Rafagnin (PT) comentou a condição em que as mulheres vivem. “Representamos mais de 50% da população, mas viemos de uma cultura patriarcal que nos oprime. Sofremos com a violência física, a psicológica, a patrimonial, a sexual. Consideramos muito grave todas elas, mas também consideramos muito mais grave a violência politica. A não permissão e o não entender a criação da Bancada Feminina também é uma violência contra as mulheres. É preciso, sim, mudar esse conceito machista e patriarcal que impede as mulheres de ocuparem cargos na política ou na Mesa Diretora”, disse.