Falta de figurinhas da Copa vira assunto de governo na Argentina

21/09/2022


Vice-presidente da Ukra, Adrián Palacios, afirmou que as bancas recebem poucos pacotes por semanas



As figurinhas da Copa do Mundo não são famosas apenas aqui no Brasil. Na Argentina, a falta de pacotes nas bancas virou, inclusive, assunto de governo. Isso porque, na última terça-feira (20), a Secretaria de Comércio do país se reuniu com a União dos Kioesqueros (Ukra) e com diretores da Panini, empresa que distribui produz o produto, para tratar o assunto.


Os donos das bancas locais afirmam que as figurinhas estão em falta desde quando o álbum foi lançado, em agosto. Além disso, há reclamações de que outros pontos de venda, como postos oficiais da Panini, aplicativos de entrega e supermercados têm sido priorizados pela empresa na hora da distribuição.


Em entrevista ao jornal “Clarín”, o vice-presidente da Ukra, Adrián Palacios, afirmou que as bancas recebem poucos pacotes por semanas e que as distribuidoras têm priorizado o mercado paralelo, onde o produto é vendido com valores elevados.


“Faltam figurinhas e álbuns em todo o país. A entrega média é de 25 ou 50 pacotes por semana, e 20 ou 30 álbuns por semana. Isso não é suficiente para nenhum vizinho em qualquer localidade. E o que estamos pedindo para a Panini é entregar a mercadoria aos distribuidores oficiais e que esses distribuidores a vendam nas bancas e que não o façam como antes, no mercado paralelo”, disse.


Ao término da reunião, Adrián disse que a Panini prometeu controlar as entregas dos distribuidores e que a empresa garantiu que as mercadorias chegarão às bancas.


“A empresa [Panini] prometeu controlar os distribuidores oficiais para que entregassem as figurinhas nas bancas. Estar aqui hoje com a empresa, com o Estado e que a entrega de figurinhas dos distribuidores oficiais aos quiosques possa ser normalizada é o primeiro passo. A Panini tomou o compromisso de chamar cada distribuidor para normalizar”, afirmou.