Fifa anuncia pacote de sanções contra a Rússia

27/02/2022


Entidade indica que punições vão aumentar caso situação na Ucrânia se agrave



A Fifa decidiu neste domingo aplicar um primeiro pacote de punições contra a Rússia, que na semana passada invadiu a Ucrânia, no maior ataque de um Estado contra outro na Europa desde a Segunda Guerra Mundial.


A seleção russa não poderá competir sob a bandeira da Rússia, seu hino não poderá ser tocado nos jogos e todas as suas partidas como mandante serão disputadas em campo neutro e com portões fechados.


A decisão tem prazo indeterminado e pode ser reavaliada em caso de novidades na ação militar russa no país vizinho. A Fifa indicou que as sanções vão ficar mais pesadas caso a guerra na Ucrânia continue e a situação se torne mais grave. No limite, é provável que a Rússia seja expulsa das Eliminatórias para a Copa do Mundo do Catar.


O próximo jogo da Rússia, no dia 24 de março, contra a Polônia, pela repescagem das Eliminatórias da Europa, estava previsto para ser disputado em território russo e terá de ser levado para outro país, ainda não escolhido.


Se os jogos fossem nesta semana era muito provável que a Rússia fosse imediatamente expulsa e o confronto com a Polônia não acontecesse. Como falta quase um mês, a Fifa acredita ser possível construir uma solução que preserve o jogo.


Pela tabela original, a Rússia receberia a Polônia. O vencedor deveria enfrentar quem vencer o duelo entre Suécia e República Tcheca, valendo uma das três últimas vagas europeias para o Catar. Caso a Rússia seja mesmo expulsa, a Polônia vai avançar automaticamente para a fase seguinte.


Desde que a Rússia invadiu a Ucrânia, quarta-feira, houve forte condenação internacional. No futebol, as federações de Polônia, Suécia e República Tcheca afirmaram que não enfrentariam a Rússia em nenhuma hipótese – nem mesmo em campo neutro.


O presidente da federação de futebol da Polônia Cezary Kulesza, escreveu no Twitter que a decisão é "inaceitável".