Gomyde vai melhorar o ambiente de negócios para aumentar os investimentos no Paraná

21/09/2022


Candidato do PDT ao Governo do Estado apresentou suas propostas de gestão em sabatina na Band News Curitiba


Ricardo Gomyde, candidato do PDT ao Governo do Paraná, participou nesta quarta-feira (21/09) de uma sabatina na Rádio Band News Curitiba, na qual apresentou algumas de suas principais propostas para a futura gestão do estado. Falando sobre economia, Gomyde destacou o cenário de paralisia do governo atual e que irá buscar novos recursos e aumentar os investimentos no estado.

“Vamos melhorar o ambiente de negócios no Paraná. É preciso agir, em um estado pujante como o nosso, não podemos ficar nessa paralisia do governo atual. Não há diálogo, ninguém arregaça as mangas para conseguir mais recursos, seja com o governo federal ou os órgãos internacionais. Não tem uma obra importante sendo tocada por este governo, não há um ambiente econômico favorável para expandir o estado”, afirmou o candidato do PDT.

Gomyde destacou os gastos de R$ 160 milhões do governo atual com propaganda, só em 2022, e os R$ 17 bilhões repassados em renúncia fiscal até o momento. “Uma parte da renúncia é importante para apoio da micro e pequena empresa, mas falta transparência em todo o processo. Boa parte desses recursos deveria ir para a saúde, educação, programas sociais. Temos a proposta de as empresas que receberem benefício fiscal se comprometerem com o salário mínimo regional, de mais de R$ 1.800 em alguns setores. Dessa forma, podemos melhorar a condição de emprego e renda de muitos paranaenses”, avaliou.

O candidato do PDT também confirmou que seu governo irá criar o Programa Paraná Dignidade, para ajudar os 18% da população do estado que se encontra na linha de pobreza e os 250 mil paranaenses que estão passando fome. “Estamos propondo o Paraná Dignidade, que será uma composição com os auxílios federais para ajudar a quem de fato precisa colocar comida na mesa”, afirmou. O programa será temporário e irá estabelecer uma renda estadual mínima, complementando os programas federais, além de investir em capacitação profissional para que o trabalhador possa se recolocar no mercado de trabalho.

Gomyde também falou sobre habitação e regularização fundiária. “Temos no estado um instrumento extraordinário para a questão da habitação, que é a Cohapar, mas que não está sendo bem utilizado. O governador atual só fez 3,5 mil casas nessa gestão, quase nada em relação à demanda de todo o estado, só em Curitiba a fila é de 50 mil casas. Há recursos para a habitação na Caixa Econômica Federal e em várias outras fontes. Vamos atrás desses recursos em Brasília e também em organismos multilaterais, para resolver o problema da casa própria do paranaense”, finalizou.