Grafite ganha espaço na Regional da FCC do Tatuquara

27/01/2022


A artista se prepara para grafitar o muro da Casa Irmã Dulce, Unidade de Estabilização Psiquiátrica da Secretaria Municipal de Saúde no Tatuquara


Crédito: Luiz Costa

A artista curitibana Eloá Cruz sonha alto, literalmente. Quer levar seus traços e cores à fachada de algum prédio da cidade, e enquanto a empena (parede lateral de edifício) para chamar de sua não chega, ela segue pelas ruas do Tatuquara transformando muros de residências, de comércios e de equipamentos da Prefeitura de Curitiba em obras de arte.


Eloá é uma das novas artistas que tiveram projetos selecionados pela Lei Municipal de Incentivo à Cultura, da Fundação Cultural de Curitiba. Junto com um coletivo, a artista se prepara para grafitar o muro da Casa Irmã Dulce, Unidade de Estabilização Psiquiátrica da Secretaria Municipal de Saúde no Tatuquara.


Uma das fachadas da UPA Tatuquara é outra tela em branco que logo terá um painel artístico com a assinatura de Eloá Cruz. Será uma homenagem aos profissionais de saúde por meio da arte urbana. Os dois novos trabalhados iniciam em fevereiro.


A porta para os editais foi aberta pelo Núcleo Regional da Fundação Cultural de Curitiba no Tatuquara. Há cerca de três anos, Eloá foi até lá para pedir ajuda com um cartaz e o resultado foi muita aprendizagem sobre as leis de fomento à arte e cultura.


“É uma oportunidade que está aí (Lei de Incentivo à Cultura) e a gente precisa entender como funciona, no começo me bati um pouco e tive projeto recusado, mas não desisti e pretendo aperfeiçoar cada vez mais, diz Eloá.


Para retribuir o que aprendeu, a artista pintou a fachada do espaço do Núcleo Regional da Fundação Cultural, dentro da nova Rua da Cidadania do Tatuquara. “Foi aqui dentro que a Eloá aprendeu a elaborar projetos, conheceu os mecanismos de captação de recursos para os trabalhos, e pra gente é uma satisfação, especialmente em ver manifestações artísticas ligadas ao hip-hop ganhando espaço na agenda cultural e se aproximando da comunidade”, fala Norma Calado, chefe regional da FCC no Tatuquara.


Potencializar a arte urbana será um dos focos do trabalho do Núcleo do Tatuquara neste ano. Norma está programando dois seminários sobre hip-hop na regional e também cursos e atividades ligados ao movimento, seja na literatura, na música e nas artes visuais.