Hospitais do Paraná registram aumento de 47% no consumo de oxigênio

10/03/2021


Empresa responsável afirma que o produto não deve faltar



A principal fornecedora de oxigênio para as hospitais públicos e privados de todo o Paraná afirmou que o consumo teve aumento de 47% na procura. Os dados comparam os primeiros dias de março ao mesmo período de fevereiro de 2021. A empresa responsável White Martins disse que o fornecimento vem sendo feito regularmente e que não há indícios de falta – desde que os hospitais informem o aumento na demanda.


Pacientes internados com casos graves da covid-19 precisam – quase a maioria – de intubação como aporte – para ajudar a recuperar a saturação de oxigênio no sangue. O aparelho de ventilação mantém as funções vitais enquanto a doença é eliminada pelo sistema imunológico do paciente atrelado à medicação.


Para que não haja desabastecimento no Estado, a empresa pede que os hospitais comuniquem ‘formalmente e previamente as necessidades de acréscimo no fornecimento do produto bem como a previsão da demanda’, diz a nota.


“Estes estabelecimentos são responsáveis pela gestão da saúde e têm acesso a dados que compõem o panorama epidemiológico da COVID-19, como o índice e a velocidade de contágio da doença, o crescimento da taxa de ocupação de leitos, a abertura de novos leitos, a implantação de hospitais de campanha, a quantidade de pacientes atendidos, bem como a classificação dos casos. A White Martins – como qualquer fornecedora deste insumo – não tem condições de fazer qualquer prognóstico acerca da evolução abrupta ou exponencial da demanda”, finaliza a empresa White Martins, por meio de nota à imprensa.