Humberto Gessinger vem a Curitiba com novo trabalho

14/11/2021


Músico gaúcho se apresenta no Grande Auditório do Teatro Positivo



O cantor, compositor, multi-instrumentista e escritor Humberto Gessinger vem a Curitiba em novembro e faz um show especial do seu novo disco e turnê ´Não Vejo a Hora´. Com realização da Prime, a apresentação inédita acontece no dia 19 de novembro em única apresentação no Teatro Positivo – Grande Auditório (R: Pedro Viriato Parigot de Souza, 5.300) às 21h15. Nela, o cantor assume, além dos vocais, baixo, teclados e harmônicas, e é acompanhado por Felipe Rotta na guitarra e Rafael Bisogno na bateria e percussão. No repertório estão sucessos de 36 anos de carreira, além de canções inéditas do novo álbum.


“Foram dias muito intensos quando gravamos as oito canções com power trio (baixo de seis cordas, guitarra e bateria) e as três com o trio acústico (viola caipira, baixo acústico e acordeon). O material foi escrito no decorrer do último ano, com exceção de duas canções um pouco mais antigas: “Missão”, que escrevi com Duca Leindecker, e Outro Nada, que escrevi com Bebeto Alves. Como sempre, as letras são todas minhas, mas rolaram parcerias nas músicas também com Felipe Rotta, Nando Peters e Esteban Tavares. Desde o início, saquei que o material pedia uma produção ágil, rápida, para que a força das composições não se perdesse em firulas no estúdio. Foi o que a gente fez. Com exceção de alguns vocais que eu dobrei, não há overdub no disco. ‘Não Vejo a Hora’ é um disco focado na simplicidade dos trios”, revela Humberto Genssinger.


Produzido por Humberto Gessinger, “Não Vejo a Hora” (Deck) é o quarto disco solo e primeiro álbum de inéditas desde “InSULar” (2013) e traz 11 canções autorais gravadas com dois trios. São oito faixas com o power trio formado com Rafa Bisogno na bateria e Felipe Rotta na guitarra (músicos que o acompanham na estrada) e Humberto no baixo de seis cordas. Nas três músicas acústicas, Gessinger assume a viola caipira, acompanhado por Nando Peters no baixo acústico e Paulinho Goulart no acordeon. Lançado em CD, vinil, K7 e em todas plataformas digitais, o álbum foi gravado no Estúdio Soma em Porto Alegre e conta com duas formações, dois trios distintos: o "power trio" e o trio acústico. As ilustrações da capa e contracapa são do artista gaúcho Felipe Constant.