Instituto sem fins lucrativos fomenta as operações de fusões e aquisições no Brasil

21/12/2021


Primeira associação do Sul do país dedicada ao tema ajudará as empresas de médio porte a entender o funcionamento, riscos e as vantagens das operações de M&A e promoverá as boas práticas no setor


Crédito: Gustavo Mafra

A busca para expandir os negócios, melhorar a competitividade e gerar mais receitas tem levado diversas empresas brasileiras a participar dos processos de fusões e aquisições ou M&A (do inglês merges and acquisitions).

O middle-market, ou empresas de porte médio, é uma referência ao tamanho de uma companhia geralmente em termos de receita ou base de ativos. Embora não haja uma definição universal, os assessores deste segmento costumam referir-se a negócios entre R$ 50 e R$ 500 milhões. No Brasil, a grande maioria das empresas são pequenas e médias e representam uma fatia relevante do PIB nacional.

A fusão é uma maneira de dois ou mais negócios combinarem suas atividades e juntarem esforços em busca de melhores resultados. As aquisições são operações em que uma sociedade é adquirida por outra entidade, que pode ser um concorrente, um cliente ou um fundo de investimento em participações.

O ano de 2021 está marcado como o ano da retomada das operações de fusões e aquisições, que atingiram patamares recordes. Segundo a plataforma Fusões & Aquisições, até outubro deste ano, foram realizadas 1.534 operações, crescimento 74,5% no volume e investimentos de R$ 581,3 bilhões - aumento de 118,9% em relação ao mesmo período do ano passado e 66% do acumulado dos últimos doze meses, que somaram 1.806 operações.

O valor médio das transações também vem aumentando, com crescimento de 25% em relação ao mesmo período do ano passado. No segmento de middle-market, o volume de transações de M&A cresceu 87,3% em comparação ao ano de 2020.

Dentre os diversos benefícios que as transações de M&A podem proporcionar às empresas, destacam-se a diversificação de mercados, aumento de abrangência de marca, ampliação das receitas, redução de custos e riscos e melhoria das condições de atuação. Tais benefícios podem ser captados por empresas de pequeno, médio ou grande porte.

Fórum de discussão

E para ajudar os interessados em conhecer as etapas e cuidados que envolvem todos os trâmites dessas operações, acaba de ser lançado em Curitiba o Instituto de Desenvolvimento Empresarial e Fusões Aquisições (IDEFA), uma associação civil sem fins lucrativos formada por representantes de diferentes áreas.

“Somos o primeiro fórum de discussão das operações de M&A da região Sul do Brasil. Nossa missão é promover o crescimento sustentável das empresas de médio porte por meio de fusões e aquisições e promover as boas práticas entre os empresários e os profissionais que atuam no segmento”, explica Gustavo Pires, diretor do IDEFA e head de M&A e governança do grupo Valore Elbrus.

A entidade teve origem em setembro de 2020, mas em virtude da pandemia os encontros dos associados foram realizados remotamente, até o evento de lançamento realizado no fim de novembro.

Com o aumento do quadro vacinal, o IDEFA fará eventos presenciais ao longo de 2022 para discutir as operações de fusões e aquisições e como elas podem contribuir para o desenvolvimento das empresas.

Temas que estão indiretamente relacionados com as operações de M&A tais como governança corporativa, planejamento estratégico, acesso ao capital, gestão financeira e de pessoas também estarão na pauta do IDEFA.

“O instituto deseja conectar, educar e promover investidores, executivos, agentes de fomento e assessores deste segmento para aumentar as oportunidades de desenvolvimento empresarial, captação de recursos e fusões e aquisições”, destaca Federico Stern, diretor do IDEFA e sócio do Mazutti Ribas Stern Advogados, outro associado fundador do instituto.

Segundo o IDEFA, a falta de planejamento e o envolvimento de assessores não especializados são os erros mais comuns e que prejudicam as transações de M&A. Por outro lado, empresas que apresentam boa governança, carteira de clientes consolidada, gestão profissionalizada, marca forte, baixo endividamento, tributos e finanças em dia são ativos com alto potencial de realizar uma transação de M&A bem sucedida.

Cuidados

Mas para que a transação de M&A seja benéfica aos envolvidos e o negócio não se transforme numa cilada, é preciso ter o apoio de especialistas e saber como agir nas diferentes etapas do processo; que envolvem desde o diagnóstico estratégico e estruturação da governança até a assinatura dos documentos definitivos da transação e o seu fechamento.

“Esses trâmites levam cerca de um ano para serem concluídos adequadamente e muitos empreendedores não sabem disso. Outra curiosidade é que cerca de 60% dessas operações não geram o valor esperado para quem vende, uma vez que os donos sempre acham que seu negócio vale mais do que o preço estipulado pelo mercado”, ressalta Maurício Maciel, representante do Marins Bertoldi Advogados, também associado e fundador do IDEFA.

Mercado Aquecido

Empresas listadas na Bolsa de Valores fizeram diversos anúncios de transações de M&A em 2021, com destaque para a aquisição da Hering (HGTX3) pelo Grupo Soma; a aquisição do Grupo Big pelo Carrefour Brasil (CRFB3); a aquisição pela Qualicorp (QUAL3) do grupo Elo; aquisição da KabuM! pela Magazine Luiza (MGLU3), dentre outras transações relevantes que agitaram o mercado.

Levantamento da consultoria KPMG mostra que as companhias de internet foram as que mais fizeram operações no primeiro semestre de 2021, seguidas das empresas de tecnologia da informação e instituições financeiras. Setores como varejo, saúde, educação e agronegócio também aparecem na lista.

Sobre

O Instituto de Desenvolvimento Empresarial e Fusões Aquisições (IDEFA) é uma associação civil sem fins lucrativos, formada por representantes de diferentes áreas. Fundado em setembro de 2020, em Curitiba-PR, a entidade é o primeiro fórum de discussão das operações de M&A do Sul do Brasil.

O Instituto pretende contribuir para o desenvolvimento das empresas através das operações de M&A. “É fomentando as boas práticas e compartilhando conhecimento que conseguiremos que o IDEFA cumpra o seu propósito e seja um agente de transformação da nossa comunidade empresarial”, ressalta Gustavo Pires.

Para isso, o IDEFA vai realizar em 2022 eventos e palestras, cursos e treinamentos, publicar gratuitamente artigos e guias - sempre com o intuito de auxiliar empresários, assessores e demais interessados nas operações de M&A a realizá-las de forma eficiente, gerando valor para todos os envolvidos.

Além das empresas já citadas, são associados fundadores do IDEFA: Value Group, SB Crédito, Redirection, Grafin, Cypress e Andersen Ballão Advogados.