Itamaraty diz que crítica dos EUA à viagem de Bolsonaro à Rússia é 'extrapolação'

19/02/2022


Comunicado ocorre após governo norte-americano dizer que Brasil 'parece estar do outro lado'



O Ministério das Relações Exteriores brasileiro divulgou nota neste sábado (19) em que chama de "extrapolação" a crítica do governo dos EUA à visita do presidente Jair Bolsonaro à Rússia, nesta semana.


Na sexta (18), a porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, disse que o Brasil "parece estar do outro lado de onde está a maioria da comunidade global", ao comentar a viagem Bolsonaro.


A visita de Bolsonaro ao colega Vladimir Putin, em Moscou, ocorreu num momento de tensão entre Rússia e países do ocidente envolvendo a Ucrânia.


Durante o encontro com Putin, Bolsonaro afirmou que "somos solidários a todos aqueles países que querem e se empenham pela paz".


Na sexta, a porta-voz da Casa Branca afirmou que o Brasil "parece estar do outro lado de onde está a maioria da comunidade global". Já um porta-voz do Departamento de Estado dos EUA afirmou que o momento em que Bolsonaro escolheu para se solidarizar com a Rússia "não poderia ter sido pior."


Bolsonaro já havia comentado as críticas do governo norte-americando à sua visita à Rússia, na sexta. ele afirmou que não tomou partido "de ninguém" ao se solidarizar com a Rússia.


O tom da nota divulgada pelo Itamaraty neste sábado é mais duro. Nela, o Ministério das Relações Exteriores diz lamentar as críticas feitas pelos EUA e afirma que elas não são "construtivas" nem "úteis".


"O Ministério das Relações Exteriores lamenta o teor da declaração da porta-voz da Casa Branca a respeito de pronunciamento do Senhor Presidente da República por ocasião de sua visita à Rússia. As posições do Brasil sobre a situação da Ucrânia são claras, públicas e foram transmitidas em repetidas ocasiões às autoridades dos países amigos e manifestadas no âmbito do Conselho de Segurança das Nações Unidas (CSNU). O Ministério das Relações Exteriores não considera construtivas, nem úteis, portanto, extrapolações semelhantes a respeito da fala do Presidente", diz a nota.