No Galho da Laranjeira – Histórias para Crianças Brasileiras

04/08/2022

Projeto para estimular a leitura percorre escolas públicas da Rede Municipal de Curitiba beneficiando 13 mil alunos até novembro


No Galho da Laranjeira com Michelle Peixoto - foto Lucas Rachinski

Há mais de dez anos a Travessia - Arte e Educação e a Passaredo - Educação e Arte se dedicam a projetos de incentivo à leitura, ao longo desse período seus criadores, Vinícius Mazzon e Michelle Peixoto, já realizaram juntos cerca de 14 projetos com o intuito de transformar o Brasil em um país leitor.


No Galho da Laranjeira – Histórias para Crianças Brasileiras é o mais recente deles, propõe a realização de 180 rodas de leitura e 180 sessões de contação de histórias. Estes encontros estão sendo realizados gratuitamente em escolas públicas da Rede Municipal de Curitiba, para alunos do Ensino Fundamental e da Educação Infantil. Até novembro pretende atingir cerca de 13 mil alunos.


O projeto leva às escolas obras de reconhecida relevância e qualidade literária. Cada sessão tem duração de 45 minutos e são caracterizadas por poucos adereços e muita proximidade, a proposta é apresentar a literatura de forma divertida, sensível e acolhedora, apostando que esta experiência reforce neste público o gosto pela leitura, pela arte e pelo encontro. Por meio da leitura e da narração de contos tradicionais e contemporâneos, mesclados com canções, quadrinhas e adivinhas o objetivo do projeto também é valorizar a literatura oral e divulgar a produção literária infanto-juvenil.


As rodas de leitura são conduzidas por Michelle, formada em Pedagogia e atuante há 11 anos em programas de formação de leitores e mediadores de leitura. Idealizadora de projetos como: "Onde Canta o Sabiá – literatura no litoral do Paraná" e "Farol de Histórias – Contos para Acender a Cachola", já realizou mais de mil rodas de leitura e colaborou na formação de centenas de professores e agentes de leitura.


“Queremos que eles experimentem o livro com esse "olhar de pássaro" inaugural a que o poeta Manoel de Barros se refere. A "infância da língua" é não ter preconceitos ou roteiros estabelecidos, a literatura pode ser vivida como um vôo que nos faz chegar a lugares que o cotidiano normalmente não permite. O livro que nos toca é aquele que alarga os horizontes da alma, que nos aproxima do outro sem medo, abrindo nossos olhos para a beleza. Só é preciso abrir olhos e ouvidos para que as estórias possam cantar como um sabiá, no galho da laranjeira, anunciando a primavera”, vislumbra Michelle.


As contações de histórias são realizadas por Vinícius, formado em artes cênicas, tem sido convidado para os maiores eventos da narração oral no país, como o "Boca do Céu – Encontro Internacional de Contadores de Histórias", "Simpósio Nacional de Contadores de Histórias" (SESC/SP), "EMIL – Encontro Mundial da Invenção Literária" e "Baú de Histórias" (SESC/SC).


“Este projeto permite darmos continuidade à nossa atuação como mediadores de leitura nas escolas públicas de Curitiba, com especial enfoque naquelas situadas em áreas de risco social mais acentuado, onde o acesso a bens culturais é mais restrito e se faz fundamental aproximá-los da população, a fim de garantir o pleno exercício de seu direito à fruição artística e desenvolvimento social”, destaca Vinícius.


Visando a capacitação dos professores, No Galho da Laranjeira também irá oferecer Oficina Literária para Mediadores de Leitura com o ator, escritor, mediador de leitura e produtor cultural, Lucas Buchile.


“Ler é abrir horizontes, é expandir a alma, é alimentar o espírito, a imaginação. A leitura é a arte de enriquecer nossa mente e iluminar nosso coração. O narrador é quem abre a porta e solta os contos que são pequenos pássaros inaugurando a língua da fantasia dentro de nós. A criança que aprende cedo o prazer da leitura compreenderá as bibliotecas não como gaiolas, mas como lugares onde sua alma poderá ganhar asas. Essa é a proposta deste projeto, incentivar o gosto pelo livro através da afetividade e da ludicidade, linguagens típicas da infância. O projeto se fundamenta na certeza de que a aquisição dessa habilidade os capacitará para uma vida adulta mais plena de significados e de possibilidades de exercer sua cidadania”, conclui Michelle.

Por eles mesmos:

Vinícius Mazzon – "Tenho 45 anos e nasci em Campo Largo - PR, onde aprendi a montar em onça e tantas outras coisas sem serventia. Muitos anos mais tarde entendi que a vida não é útil, o que reforçou em mim a vontade de jogar conversa fora e observar os marimbondos. Me formei em artes cênicas e há quinze anos me dedico a contar histórias para crianças. ”


Michelle Peixoto – “Eu nasci no Rio de Janeiro e cresci ouvindo histórias da minha mãe, isso despertou em mim o interesse desde cedo pela literatura. Depois de me formar em Pedagogia e de trabalhar alguns anos em livrarias com literatura infantil, juntei essas duas experiências e tornei-me mediadora de rodas de leitura para crianças, além de ministrar cursos para educadores e bibliotecários. Estou há 13 anos em Curitiba, onde atuei como professora de educação infantil, de ensino fundamental e como contadora de histórias. ”


Este projeto é uma realização da Passaredo – Educação e Arte em parceria com a Travessia - Arte e Educação e foi incentivado pela Aprende Brasil (empresa do Grupo Positivo), por meio do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e Prefeitura Municipal de Curitiba.


Saiba mais:

Instagram: @travessia.arte.educacao

https://www.facebook.com/travessiaarteeeducacao/


Contatos:

Produção

Vinícius Mazzon

41 99622 2829

viniciusmazzon@gmail.com