"Vário" leva dança contemporânea para Colombo

21/09/2022


Público poderá entrar na roda com a bailarina e os músicos nesse espetáculo interativo


Paula Zucoloto/Divulgação

Depois de envolver o público de várias cidades do Paraná, o espetáculo interativo de dança-música “Vário” leva apresentações e oficinas à região metropolitana de Curitiba. Quem quiser viver essa experiência tem hora marcada no Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU) de Colombo, dia 22 de setembro (veja no serviço). A entrada é franca.

A montagem propõe aproximar a arte contemporânea de adultos e crianças ao promover uma verdadeira brincadeira em cena com a participação de uma bailarina, dois músicos e a ajuda de dispositivos que, utilizados pela plateia, criam os sons do espetáculo e os estímulos para os artistas. De acordo com a bailarina e professora Lívea Castro, uma das idealizadoras do projeto e performer da encenação, “Vário” propõe um desafio: a convivência e o relacionar-se em dias de opiniões tão antagônicas e, ao mesmo tempo, maneiras tão múltiplas de se estar no mundo.

“Na parceria com o público, vamos descobrindo em ‘Vário’ como criar e conviver no espaço. A intenção é aproximar pessoas e conectar a presença plural. ‘Vário’ é sobre criar convívio, ampliar sentidos e multiplicar corpos. Propõe uma realidade sensível de colaboração, de corpos que se movimentam em rede. É uma estratégia movente de permanência nos espaços”, ressalta a bailarina.

Lívea é graduada em Dança pela Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR|FAP), com especialização em Estudos Contemporâneos em Dança pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Desenvolve pesquisas artísticas e educacionais na Nó Movimento em Rede e como professora de dança da Associação dos Deficientes Físicos do Paraná (ADFP). Foi propositura no UM – Núcleo de pesquisa artística em dança da UNESPAR, bolsista no IMP – investigação do movimento particular (2017), e uma das artistas residentes de ENCUENTROS – ações de diálogo em dança Curitiba/Bogotá (2022).

Os músicos que acompanham Lívea em cena são Daniel Amaral e Machison Abreu. Daniel é violonista, arranjador, compositor e professor. Formado em Música Popular pela UNESPAR-FAP, cursou Violão Popular na Escola de Música do Estado de São Paulo. Integra o duo “Miniconto" em parceria com Karla Díbia, com o qual tem 5 álbuns lançados. Machison também é graduado em Música pela FAP, é pesquisador da relação da música com a dança, o teatro e o cinema, já tendo desenvolvido diversos projetos nessa área. Recentemente formado no curso de produção musical pela Yellow Dj Academy, hoje atua como produtor musical e música eletrônica. A parceria dos três foi firmada em 2012 por meio do trabalho de dança-música “Pedras que”.

A classificação de “Vário” é livre e a primeira temporada do espetáculo, foi viabilizada pela lei municipal de incentivo à cultura de Curitiba, e contou com uma série de apresentações para alunos da rede pública de ensino. Já essas novas apresentações, fazem parte de projeto aprovado no Programa de Fomento e Incentivo à Cultura – PROFICE, da Secretaria de Estado da Comunicação e da Cultura, com o apoio da COCEL. Serviço: “Vário”, espetáculo de dança contemporânea interativo Entrada franca Dia 22 de setembro – Colombo (PR) CEU - Centro de Artes e Esportes Unificados (Rua Manoel Vicente Machado, 40 – Jardim Eucaliptos – Colombo) Apresentações: 10h30 e 14h e oficina dança-música: 15h FICHA TÉCNICA Criação e performance: Daniel Amaral, Lívea Castro e Machison Abreu Iluminação: Erica Mityko Consultoria de figurino: Amábilis de Jesus Designer de sensores: Pedro D’Água Confecção: Fernando Robert Programação: Machison Abreu Consultoria: Henrique Bergamo Diretor de Produção: Jorge Schneider Coordenação geral: Simone Bönisch Produção: Bönisch Produções Culturais Mais informações: @projeto.vario @bpcproducoes www.facebook.com/bpcproducoes/ BPC Produções - A Bönisch Produções Culturais foi criada em outubro de 2017 pela produtora cultural Simone Bönisch. A empresa atua na elaboração, execução, produção, gerenciamento e consultoria de projetos culturais e iniciativas artísticas socioeducacionais. Desde a sua fundação, vem atuando na coordenação e produção dos projetos: Brasil x Israel (intercâmbio cultural entre artistas da dança contemporânea brasileira e israelense), Vilosidade (trabalho solo em dança contemporânea da artista Lívea Castro aprovado no Edital da Área da Dança – Solar 2018), Vário (espetáculo de dança-música aprovado no Edital de Mecenato Subsidiado da Fundação Cultural de Curitiba), Autorretrato (projeto de Cayo Vieira que usa a fotografia em intervenções psicoterapêuticas no tratamento de adolescentes internos no Hospital San Julian), Do Avesso (iniciativa da Nó movimento em rede, contemplada pelo Prêmio Festival Funarte Acessibilidança Virtual 2020) e Batucando (proposto por Diandra Minatti e aprovado no PROFICE, para a formação de uma orquestra de percussão com crianças da cidade de Ipiranga).